terça-feira, 16 de agosto de 2011

Carta para meu pai

Fortaleza, 14 de Agosto de 2011.
Querido papai,
Ainda sou muito pequenininha, por isso pedi a ajuda da mamãe para escrever para você esta carta em comemoração ao seu primeiro Dia dos Pais. A mamãe me contou que antes mesmo de eu chegar na vida de vocês, o senhor tinha um pouco de medo de não estar preparado pra ser pai, que achava que não ia conseguir assumir essa tão importante função. Mas o Papai do Céu sabia, e a mamãe também, que isso não era verdade, era apenas um pouco de insegurança, pois és a pessoa mais bondosa que a mamãe conhece. Foi por isso que Ele me mandou para alegrar a sua vida e a da mamãe. E sabe de uma coisa? O senhor é o melhor papai que eu poderia querer. Por quê? Bem, vejamos... Antes mesmo de eu chegar, quando a mamãe tinha dúvidas sobre o modo que eu viria, você deu forças a ela, e a fez acreditar que tudo com Deus era possível. Disse também que ela tivesse fé, pois eu era um presente de Deus. Quando chegou o dia de me buscar, você ficou o dia todo junto com a mamãe na expectativa, acompanhando todos os momentos, o segundos, para a minha chegada. Eu era muito pequenininha e frágil. Mas, mesmo não tenho experiências com bebês, você me pegou no colo e ali eu sorri, pois sabia que eu tinha ganho o melhor pai do mundo. A mamãe me contou ainda que você participou de tudo desde o meu primeiro dia e que sempre que eu acordava de madrugada, você levantava para me acalentar ou fazer o meu leitinho. Os dias foram passando e o nosso amor foi só crescendo. Hoje eu sei que o seu amor por mim é infinito. Eu disfarço, papai, mas vejo o tamanho do seu sorriso quando você fala das minha peraltices para seus amigos ou quando diz que eu sou "a princesinha do papai". Eu preciso te dizer que os seus olhos brilham e que tanto eu quanto a mamãe ficamos orgulhosas disso. Este foi apenas o primeiro de muitos anos que nós passaremos juntos, papai. Saiba que eu amo muito você. Quando eu escuto sua voz, eu já abro um sorrisão, pois eu sei que vamos brincar muito. Obrigada, papai, por ser o melhor PAI do mundo!!!

















Fim de semana em Aranaú, em Acaraú - CE

Algumas das nossas fotos deste fim de semana, onde levamos Valentina pra Aranaú, distrito de Acaraú, no Ceará. Lá, Elton e eu, comemoramos 6 anos de união, o aniversário dele e o quinto mês da nossa pequenina.














quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Papinhas industrializadas: pós e contras

1. Qual a melhor maneira de aquecer essas papinhas? Em banho-maria ou no micro-ondas? Se a criança não comeu tudo, posso guardar na geladeira para consumo posterior? Tanto faz. A papinha pode ser aquecida no micro-ondas ou em banho-maria, conforme for mais prático para você. Depois de abrir o potinho e armazenar no refrigerador, o consumo deve ocorrer no prazo de 24 horas. 

2. O que devo olhar no rótulo da papinha para saber se o produto é saudável? Quais são os valores dos nutrientes que devo procurar? Enfim, o que devo priorizar? E evitar? Que ingredientes são indispensáveis? Em primeiro lugar, você deve confiar na marca da papinha. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, todos os alimentos disponíveis no mercado devem seguir valores de referência de ingestão dietética. No Brasil, segue-se a DRI (Dietary Reference Intakes). No entanto, nem todos os fabricantes fornecem a quantidade de vitaminas presentes nas embalagens. Para ser saudável, a papinha não deve possuir corantes, conservantes, acréscimo de açúcar e gordura trans. Fique também de olho no sódio, dando preferência aos produtos que contêm a menor quantidade.


3. As vitaminas e/ou minerais se perdem com o processamento industrial? Quando ofereço esses preparos prontos ao meu filho, estou dando um alimento menos nutritivo? Pelo contrário, o processamento industrial ajuda a conservar os nutrientes das papinhas devido à esterilização em alta temperatura e ao fechamento a vácuo. No entanto, é importante saber que a biodisponibilidade das vitaminas e dos minerais de um alimento in natura é sempre melhor. Em outras palavras, as substâncias do bem são mais bem aproveitadas pelo organismo. Portanto, sempre que tiver um tempinho, prepare a refeição do seu pequeno em casa.


4. Quando a papinha industrial é vantajosa? A papinha industrial é vantajosa pela praticidade e rapidez. É bom recorrer a ela somente quando não houver tempo para preparar a refeição do seu pequeno com ingredientes naturais, como no caso de passeios ou em viagens longas, já que a papinha caseira pode estragar no caminho por causa da temperatura inadequada. Nos demais casos, tente sempre preparar a refeição com alimentos frescos e texturas variadas para estimular o desenvolvimento da mastigação.


5. É verdade que a papinha industrial não estraga como os alimentos naturais? Sim. A papinha industrializada não estraga facilmente por causa da pasteurização e do controle dos ingredientes, mas, depois de aberta, deve ser consumida em até 24horas, desde que seja conservada em um refrigerador. A vantagem de fazer a comida em casa é que você tem mais segurança em relação à qualidade dos alimentos oferecidos, além de ter a oportunidade de variar mais no sabor e nas texturas. Em geral, as papinhas industrializadas apresentam consistência, cor e sabor semelhantes, o que acaba tornando a alimentação monótona e sem graça. Lembre-se: um prato colorido e com consistências diferentes estimula o seu pequeno a comer com mais vontade e desenvolver melhor o paladar, a mastigação e a percepção dos alimentos.


6. Existe alguma contraindicação para as frutinhas prontas? As frutinhas prontas são muito pastosas e não favorecem o desenvolvimento da mastigação. O melhor é dar a fruta fresca mesmo: melancia, laranja, banana... É muito importante deixar a criança se acostumar com diferentes texturas de comida, seja mais consistente ou mais mole. Mas sempre fique de olho para seu pequeno não engasgar. Uma sugestão da odontopediatra Mariângela Schalka é deixar a criança com um pedaço da fruta pequeno (sem cortar em cubinhos), como um pedaço de abacaxi ou um gomo de tangerina. Isso estimula a percepção do alimento, a adaptação da mastigação e a sensibilização da língua. Fora que não tem nada mais gostoso do que ver seu pequeno se deliciando, com uma frutinha, ao tentar comê-la.


7. Até que idade as papinhas industrializadas são recomendadas? As papinhas industrializadas possuem, nos rótulos, sugestões de idade para a criança consumi-la. No entanto, controle a textura do alimento, preparando a refeição em casa, mantendo pedaços maiores. O momento de transição do líquido para o sólido é muito importante para o desenvolvimento da mastigação. Mas é necessário fazer uma transição progressiva. No início, por volta dos 6 meses de idade, amasse a papinha com um garfo. Batata, carne cozida e cenoura são uma boa pedida. Procure usar a peneira nos dez primeiros dias. Aos poucos, passe a deixar pedaços de alimentos para que seu pequeno se acostume com a mastigação vertical, responsável por triturar o alimento. Quando a papinha é somente pastosa, a criança só registra o movimento horizontal, no qual a língua “leva” a comida para a garganta para ser engolida.A ideia da progressão de consistência é fazer com que a criança consiga fazer a modulação da mastigação, por volta de 1 ano de idade. Mesmo se tiver poucos dentes na boca ou nenhum, o pequeno vai conseguir amassar um alimento mais mole, como uma batata cozida, com a própria gengiva.


Fonte: Site Bebê.com.br

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Nova rotina

Estamos quase chegando ao 5º mês e com ele, uma nova rotina a ser estabelecida. Por orientação da pediatra, as mamadas agora têm acrescido um tipo de massa (optamos por aveia). Também optamos por alternar o lanche das 9h, alguns dias o suco seguido da mamadeira, outros dias feito misturado, em forma de vitamina.

06h00 - Mamadeira 150ml
06h30 - Banho de sol
07h00 - Soneca
09h00 - Suco de fruta + mamadeira (separado ou junto)
09h30 - Soneca
12h00 - Papinha salgada
12h30 - Soneca
15h00 - Papinha doce
18h00 - Mamadeira 150ml (após o 7º mês, inserir a segunda papa salgada) 
21h00 - Mamadeira 150ml
22h00 - Soneca
Madrugada - Mamadeira (se acordar com fome)

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Voltamos a slingar

Na foto, Valentina com quatro meses e meio, slingando na posição conhecida como "buda".
Informações bacanas sobre sling no site http://slingseguro.wordpress.com/